{Sorteio} Livro - O Clube do Filme (David Gilmour)

Nenhum comentário:
Olá :) Vamos sortear o livro O Clube do Filme, da nossa prateleira. 

Link para o Sorteio: https://www.sorteiefb.com.br/SobreCafeELivros/444033

Sinopse:

O Clube do Filme - Eram tempos difíceis para David Gilmour: sem trabalho fixo, com o dinheiro curto e o filho de 15 anos colecionando reprovações em todas as matérias do ensino médio. Diante da desorientação e da infelicidade desse filho-problema, o pai faz uma oferta fora dos padrões: o garoto poderia sair da escola - e ficar sem trabalhar e sem pagar aluguel - desde que assistisse semanalmente a três filmes escolhidos pelo pai. Com essa aposta diferente na recuperação e na formação de um rapaz que está "perdido", formaram o clube do filme. Semana a semana, lado a lado, pai e filho viam e discutiam o melhor (e, ocasionalmente, o pior) do cinema: de A Doce Vida (o clássico de Federico Fellini) a Instinto Selvagem (o thriller sensual estrelado por Sharon Stone); de Os Reis do Iê, Iê, Iê (hit cinematográfico da Beatlemania) a O Iluminado (interpretação primorosa de Jack Nicholson, dirigido por Stanley Kubrick); de O Poderoso Chefão (um dos integrantes das listas de "melhores filmes de todos os tempos") a Amores Expressos (cult romântico e contemporâneo do chinês Wong Kar-Way).
Essas sessões os mantinham em constante diálogo - sobre mulheres, música, dor de cotovelo, trabalho, drogas, amor, amizade -, e abriam as portas para o universo interior do adolescente, num momento em que os pais geralmente as encontram fechadas. 
David Gilmour, crítico de cinema e escritor premiado, oferece uma percepção singular sobre filmes, roteiros, diretores e atores inesquecíveis ao relatar essa vivência com olho clínico e muita sinceridade. O autor emociona ao colocar os leitores diante da descoberta da vida adulta pelos olhos de um jovem e dos dilemas da adolescência administrados por um pai muito presente. Nas palavras de Gilmour: "É um exemplo do que o cinema é capaz, de como os filmes podem vencer suas defesas e realmente atingir seu coração."

"Os demônios de Loudun" de Aldous Huxley

Nenhum comentário:

Os demônios de Loudun (1952)
Aldous Huxley
400 páginas
Biblioteca Azul
★ ★ ★ ★  
Devo começar pedindo perdão pelo vacilo, por ter deixado o blog de lado durante o primeiro ano da faculdade. Estamos voltando aos poucos. E obrigada pelos likes apesar de tudo! :)

Em Os demônios de Loudun, o mesmo autor de Admirável Mundo Novo, revisita a França do século XVII e o caso da possessão demoníaca das freiras de Loudun. Pela breve sinopse parece um romance de horror, algo como O Exorcista, mas Loudun é mais como um estudo, uma investigação do caso. A partir de documentos, cartas e outros escritos da época sobre o assunto,  Huxley reconstrói o caso, que resultou no padre Urbain Grandier acusado de pacto com o diabo (pelo qual teria ocorrido a possessão das freiras) torturado e condenado à fogueira por bruxaria.

Ao contrário do que talvez possa parecer, a leitura não é chata (pelo menos não em 95% do livro). O leitor não se sente perdido porque Huxley divide a história das freirinhas em partes romanceadas, e antes de introduzir fatos novos situa o leitor no contexto da época. Além de trazer a filosofia e psicologia pra conversa, sempre mostrando os aspectos humanos da coisa toda.
pacto2
Urbain Grandier, executado por bruxaria

Por falar em "aspectos humanos", essa é a melhor parte. Possessões demoníacas e exorcismos não só estão em filmes toscos de terror, como muitos acreditam nisso ainda hoje. Tantas são as religiões que pregam isso como verdade que muitas vezes não questionamos esses casos. Em Loudun Huxley disseca todo o caso da possessão das freiras, onde tudo começou, suas origens, o cenário político (e religioso que na época dava quase no mesmo) e social da época e fica claro que, ao contrário do que você pode encontrar em sites bizarros, nada houve de sobrenatural. Os demônios que atormentaram as irmãs, assim como elas, eram bastante humanos. A condenação do padre Grandier foi conveniente aos poderosos e a ignorância, os impedimentos da vida religiosa e a crueldade foram alguns dos verdadeiros demônios.

Acho que o parágrafo acima não pode ser considerado spoiler até porque são fatos reais. E assim como nos livros do Stephen King, em Os demônios de Loudun o importante não é o desfecho, mas a jornada até lá. E essa é incrível, garanto. Além de tudo, o apêndice que fala bastante sobre delírios de massa é um caso à parte, vem bem a calhar em épocas de manifestações sem rumo.

O interessante também é pensar nas supostas possessões que acontecem hoje em diversas igrejas. Como é possível que séculos depois nós continuemos caindo nos mesmos truques? Por que muitos de nós não questionamos as motivações e conveniências dessas possessões? Acho que as respostas são as mesmas de séculos atrás e temo que isso não mude nas próximas centenas de anos.

"A religião é o ópio do povo."
- Karl Marx

Sou leiga em filosofia, antropologia e todas essas 'ias, e fico até com vergonha de comentar um livro desses, medo de falar bobagem. Mas, além de não escrever no blog há muito tempo, esse eu não podia deixar passar. Recomendo muito a leitura e a reflexão.

P.S.: Agora, que maravilhosidade é essa das capas novas dos livros do Huxley, hein? Wow. Li uma edição antiga da Biblioteca Pública, com uma capa substituta e com o nome do autor errado, mas tinha que falar sobre as capas novas, haha.

[Lista] 12 livros para 2015

Um comentário:



Já estamos no quarto mês do ano, mas, como dizia o velho deitado, antes tarde do que mais tarde né?
Posts como esse já pipocaram em centenas de blogs, então não é novidade. Porém no ano passado não planejei minhas leituras e senti falta, então vou tentar me guiar por essa lista e ler um por mês pelo menos.

2061 - Uma odisseia no espaço III, de Arthur C. Clarke

Já li o 2001 (e ainda quero ler de novo na edição nova da Aleph), já li o 2010 e tenho as sequências 2061 e 3001 - a odisseia final, porém tenho algum tipo de bloqueio com séries (!) sejam elas em livros ou de TV. Até hoje a única saga literária que terminei foi Jogos Vorazes, e da TV apenas séries e animes bem curtos. Adoro sci-fi e 2001 é um grande livro, espero conseguir pelo menos ler mais um livro da saga esse ano.

                                     
Ficções, de Jorge Luis Borges

Borges é clássico, eu li zero livros dele e ganhei esse de aniversário no ano passado. Motivos suficientes.

Skagboys, de Irvine Welsh

Skagboys é do mesmo autor de Trainspotting e é ambientado nos anos 80, contando como era a vida de Mark Renton e seus parça uma década antes de Trainspotting. Foi o último livro que eu comprei (já faz quase um ano que não compro livros, tá fácil pra ninguém), já comecei a ler uma ou duas vezes e esse ano pretendo terminar a leitura. Até porque há um terceiro livro sobre essa turminha do barulho, o Pornô.

     
Paciente 67, de Denis Lehane

Paciente 67, foi posteriormente publicado sob o nome Ilha do Medo, sim, aquele filme com o Leo DiCaprio. Há alguns anos assisti ao filme e achei o máximo. Tempos depois li Sobre Meninos e Lobos de Dennis Lehane e quando descobri que Ilha do Medo fora baseado em um livro do mesmo autor, entrou automaticamente pra lista de leitura. Continua lá até hoje.

Madame Bovary, de Gustave Flaubert

Mais um clássico que ainda não li. Este acabou entrando pra lista quando ouvi na rua duas garotas comentando sobre os livros que leram no ano passado e uma delas o citou. Sei algo sobre a história? Não. Também não vou procurar a sinopse, porque existem milhares de clássicos de que você sempre ouve falar, mas não sabe do que se trata realmente. São títulos que entram na cabeça como velhos conhecidos de que você não sabe nada. Quando isso acontece, gosto de mergulhar de cabeça sem saber o que há por vir.

 

Pesadelos e paisagens noturnas, de Stephen King

Pesadelos e paisagens noturnas são contos de King dividido em dois volumes. Essa foi uma das séries curtas que consegui terminar. Ou pelo menos uma temporada, nem sei, na época conhecia menos de séries do que conheço hoje. Sou louca pelo episódio em que os protagonistas se perdem e encontram roqueiros mortos. Encontrei o segundo volume na biblioteca pública e trouxe pra casa só pra descobrir que o conto que queria está no primeiro livro. Voltemos à caça! 

                           

O homem duplicado, de José Saramago

 Já comecei o livro uma vez e não terminei. Recentemente o livro foi adaptado para o cinema, ainda não assisti ao filme dando a desculpa de que quero ler o livro inteiro antes. Outra boa desculpa é que Saramago é sempre uma boa opção.

Os homens que não amavam as mulheres - Millennium I, de Stieg Larsson

Ao lado de Cem anos de solidão, esse é mais um livro que eu infernizei pra ganhar de aniversário e ainda não li. Mas fiquei surtada com o filme e não tenho razões pra pensar que não vou curtir o livro. Só falta tirar da estante e ler.

A paixão segundo G.H., de Clarice Lispector

Ok, essa deveria ser a lista de livros que eu comecei a ler em algum momento da vida e pretendo terminar em 2015. Comecei a ler esse livro adolescentinha e não aguentei a pressão. Percorrendo as prateleiras da biblioteca sempre bate a vontade de levar ele pra casa e ler inteirinho. Em 2015 esse momento vai chegar, eu espero.

Grande Irmão, de Lionel Shriver

Mais um que eu já comecei a ler e pretendo terminar. É da autora de Precisamos falar sobre Kevin, só isso já me fez comprar vários livros dela. Mentira, só tenho três títulos.

 

Pornopopeia, de Reinaldo Moraes

Esse é inédito na minha pilha de leituras, hein!

O ateneu, de Raul Pompeia

We don't need no education... Sim, definitivamente essa deveria ser a lista de livros que eu pretendo terminar. Esse eu comprei nessas lojinhas de R$1,99, sabe? Tava adorando o livro quando meu exemplar começou a se desintegrar na minha mão. Sério, páginas começaram a se soltar e eu decidir dar um descanso pro moribundo.

Só fazendo essa lista é que eu percebi quanta coisa deixei de fora! D:
Mas se eu conseguir ler esses já vai ser lucro, já que vários estão na lista há muito tempo e muitos eu já comecei e não terminei. E aí, já leram esses livros? Aceito sugestões, haha.

[Lista] 12 Filmes para 2015

Nenhum comentário:

Minha querida patroa e co-autora deste blog, deu uma sugestão para um novo post! Tão simples porém muito eficaz: uma meta de 12 filmes para que eu assista ao longo deste ano de 2015. Se, eu continuar vivo até o fim deste ano ( espero sinceramente que sim ) editarei este post com as resenhas dos ditos filmes. Então... vamos à lista!

1 - A Lista de Schindler 
Vi partes quando era pequeno, não me lembro.


2 - Cidade de Deus
Sabe quando está passando na Globo e você não para pra ver? Então, esse ano, vou parar pra ver. #pipoca #budweiser

3- O Pianista
Espero de verdade que esse filme seja do tipo que surpreende. Sempre vou achar que o melhor filme sobre piano é Shine: Brilhante.

4- Apocalipse Now
... porque sim.

5-O Último Rei da Escócia
Sempre achei o Forrest Whitaker fodão, preciso ver o máximo do potencial do 

6-A Queda
Porque tenho que ver algo além das paródias do youtube.

7-Mary e Max
Esse é especial. Bruna me contou sobre ele e talvez seja um dos primeiros que eu veja.

8-Metrópolis
Quero muito ver. Vamos que vamo

9-RAN
Clássico de Akira Kurosawa. 

10-Gomorra
Inspirado na obra literária homônima.

11-Amor
Vários prêmios e uma história, incrível.

12- Mad Max - Fury Road
Bom, além de rever a trilogia, não lembro direito porque enfim era muito pequeno quando vi. Esses dias revi o antigo Robocop e foi meio mindblowing. Mas eu particularmente gosto dos remakes. Novos efeitos, e aquela coisa de "Ah, o antigo é melhor". Acho que nos remakes e continuações depende de muita coisa. 

Tecnologia nova, novos efeitos, atores. A maneira que os filmes são feitos hoje são diferentes. E eu gosto disso. Gosto que tragam à tona clássicos antigos com uma cara nova. Pode ser comercial, mas dá mais conhecimento pra quem não conhecia obras mais antigas.

Sou a favor de que as coisas fiquem populares. Eu adoraria que as coisas que eu gosto fossem mais populares, isso geraria mais filmes, quadrinhos, séries, games e etc. Haters gona hate. Pra mim esse papo de "eu começei a gostar primeiro, agora muita gente gosta" é bobagem, e egoísmo juvenil. Deal with it.

Bom, enquanto for assistindo os filmes, vou postando as resenhas. 

E vc? já assistiu algum desses? Tem indicações ou comentários? ( Sim =) a tentativa vã de comunicar-se com os leitores, se você estiver lendo, por favor! haha participe! )


Sobre como um livro pacifista inspirou uma obra-prima do Metallica

Nenhum comentário:

"Não era necessário ser fã da banda para reconhecer a qualidade artística de One, assim como  não é preciso ser fã do Led Zeppelin para apreciar Stairway to heaven." - Mick Wall
Olha eu aparecendo do nada outra vez! Acho que vou mudar meu nome no blog pra Mestra dos Magos.
Venho hoje lhes falar sobre a palavra do Metallica, se tiverem um minutinho.



Minha história com o Metallica começou com o clipe de One. Descobri, então, que as cenas bizarras usadas no clipe eram de um filme de 1971 chamado Johnny vai à guerra (Johnny got his gun) e que o filme foi adaptado do livro pacifista homônimo (resenha aqui), publicado por Dalton Trumbo na década de 1930.
Mas o que eu não sabia até a noite de ontem, é como foi o processo de composição dessa verdadeira obra prima da banda.

Lendo Metallica - A Biografia, de Mick Wall (que é excelente, por sinal), que conta além de outras coisas o processo de gravação e os acontecimentos que cercam cada álbum, cheguei à parte da gravação do quarto álbum da banda ...And justice for all, e bons parágrafos foram reservados pra contar a história de One "o experimento musical mais ambicioso e bem-sucedido do Metallica", segundo o autor. Então vi que era hora de compartilhar o conhecimento. :p

Tudo começa com James Hetfield (frontman, vocalista e guitarrista) a fim de compor uma música sobre ser "apenas um cérebro". Cliff Burnstein então sugeriu a leitura de Johnny vai a Guerra, James baseou a letra no livro. E sério, não conheço muitas músicas que traduziram um livro tão bem quanto One. Contrariando o que vinham fazendo desde o primeiro álbum, dessa vez decidiram que ...And justice for all teria pelo menos um single marcante e um clipe (eles não tinham produzido nenhum até ali).

 Descobrindo que Trumbo havia dirigido uma versão cinematográfica do livro, ficaram mais entusiasmados com a ideia de um clipe para One. Os caras então compraram os direitos para o filme, utilizando várias cenas no clipe. E mais, utilizaram também trechos da trilha sonora do filme, como os sons de explosões, metralhadoras e até trechos de diálogos e monólogo de Johnny.

E essa, amiguinhos, é a história de como nasceu um dos clipes que mais fazem as pessoas correrem atrás da obra que o inspirou. Estatística minha. :p

[Apresentando] Transmutados #1: O Desconhecido, estreia de Vanessa Tourinho

2 comentários:
Transmutados #1: O Desconhecido | Vanessa Tourinho | 361 pgs | 2014 | Genérico Modo Editora
Olar, leitor!

Antes de qualquer coisa, preciso me desculpar pelo abandono do blog. Eu sou enrolada mesmo, isso é verdade, mas parei de publicar primeiro por causa do pré-vestibular (eu só tinha a opção de não pagar uma universidade, então precisava passar na UTFPr pq era onde eu queria cursar, e na UFPR por motivos de autoafirmação :p); e depois por causa da faculdade. Os trabalhos da facul se tornarão quase um trabalho integral, haha, tento viver no meu tempo livre. Mas sim, eu morro de saudade de colocar meus pitacos em algum lugar, e agradeço muito vocês não terem nos abandonado e sempre comentarem. 
Vocês são demais :´) Então, pra quebrar o hiato, venho com muito orgulho apresentar o livro de estreia da minha amiga Vanessa Tourinho. "O Desconhecido" é o primeiro livro de uma trilogia que, na verdade verdadeira, começa com o conto introdutório "Eu que tanto te amo" (minha primeira capa publicada, uhul!), que você pode ler no wattpad.

Vanessa vem nos contar a história de Luisa, uma garota brasileira, órfã, que descobre ter poderes (que trazem grandes responsabilidades, já dizia Tio Ben) como fazer um espécie de viagens astrais e ler pensamentos. Se achando uma aberração e ficando louca com as vozes dos pensamentos dos outros em sua cabeça (pera, isso soou meio trocadilho ruim, mas enfim...), ela quase atropela Antonio e acaba descobrindo que não é a única. Antonio a introduz ao universo dos Transmutados, pessoas que evoluiram geneticamente de forma natural e assim têm capacidades únicas como as de Luisa. Assim, ela é convidada a se tornar membro da família de Antonio, conhecendo outros goods como Richard, Camille e Maya.

Rest in Peace - Robin Willians

Um comentário:
 
Já faz muito tempo que não postamos por aqui. Usamos mais a fanpage do facebook, mas essa semana o cinema perdeu alguém que eu não poderia deixar de citar. 

Robin Willians, foi tão importante na vida de algumas pessoas, que me parecia um daqueles atores que a gente sempre viu em filmes. 

O primeiro filme que vi dele foi Popeye, ainda quando era bem criança. Jack, Jumanji, Sociedade dos Poetas Mortos, O Homem Bicentenário, Uma Babá Quase Perfeita, Patch Adams..., são várias obras assim que sabe, me marcaram. 

Um dos fatos dessa postagem acontecer, é que a constatação da morte foi o suicídio, devido à uma grave depressão. E talvez ainda existam muitas pessoas que subestimem essa doença que realmente, é muito séria. Esses dias outro comediante, Fausto Fanti (um cara que me fez dar muitas risadas também) do Hermes e Renato, também cometeu suicídio devido as mesmas circunstâncias, uma grande pena pros fãs e familiares.

De qualquer forma, caso conheça alguém que apresente sinais de depressão, tente não julgar, não ter preconceitos, e principalmente se você de alguma forma não se sente confortável, procure ajuda médica. 

É com imensa tristeza que hoje, escrevo esse post,sobre uma carreira tão brilhante, interrompida por uma doença tão sorrateira. 

[Fucking Breaking News] Chloë Grace Moretz sofreu bullying pelo remake de "Carrie"

3 comentários:


Chloë Grace Moretz sabia que precisaria lidar com o tema do bullying em "Carrie - A Estranha", remake do filme de Brian De Palma de 1976 e baseado no livro homônimo de Stephen King.
O que a jovem atriz de 16 anos não esperava era sofrer ataques semelhantes (com upgrades tecnológicos) por ter aceitado reencarnar a personagem que ficou famosa na pele de Sissy Spacek.
"As pessoas começaram a escrever no meu Facebook que eu nunca seria Carrie, que era muito pequena para a personagem e não chegava aos pés de Sissy", recorda-se. "Mas eu não quero ser Sissy Spacek. Kimberly Peirce [a diretora] não quer ser De Palma e Julianne Moore não quer ser Piper Laurie. Queremos algo novo."

[F*.B.N] Cientistas encontram vestígios de herpes e cocaína em exemplares de 50 Tons de Cinza

2 comentários:


Eu já tinha um baita receio de pegar livros como "50 Tons" na biblioteca, rs, depois dessa notícia então! Ó lá:
Bacteriologistas e toxicologistas de Antwerp – uma vila de Ohio (EUA) – encontraram surpresinhas desagradáveis ao examinar livros de uma biblioteca pública local.


Lembra do sucesso de “50 Tons de Cinza”? Então. Eles descobriram que alguns tomos do best seller estavam infectadas com herpes; outros tinham vestígios de cocaína.
De acordo com os especialistas, se alguém que manuseia os livros é submetido a um teste moderno de detecção de drogas, esta pessoa pode se dar mal! Os vestígios de cocaína podem “impregnar” seus cabelos, sangue e urina. Que tal?
Todos os livros da biblioteca de Antwerp foram examinados, e os vírus de herpes também foram encontrados em nas páginas do romance policial “Tango”, de Pieter Aspe.
A boa notícia é que os leitores podem lamber e esfregar os livros onde quiserem (risos), que a quantidade de vírus e drogas nos exemplares não são suficientes para causar alterações no organismo.
UFA. Já tava pensando em pegar livros na biblioteca com luvas e fazê-los limpar os pés antes de entrar na minha casa.
Li esta revelação na Mundo Estranho.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...